Catequese 13/03/2010

22 03 2010

A recuperação da filiação, restauro pelo amor

Esta semana, quarta da quaresma, em catequese, começamos por nos imaginarmos frente a um espelho, onde olhávamos, não o nosso aspecto exterior, mas o nosso interior, aquilo que temos sido, e todos chegamos à conclusão de que precisamos de um restauro, de recuperar partes de nós que não estão de acordo com o nosso modelo, Cristo.  Para isso, temos de calçar as nossas sandálias e fazer-nos ao caminho.

Como preparação para a reflexão acerca do Evangelho desta semana, onde Jesus conta a parábola do filho pródigo e para o sacramento da Reconciliação, colocamo-nos diante da questão: O que é mais difícil par nós: perdoar ou pedir perdão?

O perdão faz-se entre o perder e o ganhar . Perdemos o nosso lugar lá no alto de nós mesmos, em que dominamos as situações e as relações, perdoar é inclinar-se para a verdade que sou e quero ser para outro. Uma outra maneira de dizer humildade. Perdoar, por outro lado, é uma surpresa que nos supera, porque implica um abrir de horizontes que dependiam da minha vontade, por vezes bem pequena, mas que acaba por ser uma verdadeira fonte de paz.

 Mas perdoar tem a marca de um recomeço, de um continuar no caminho autêntico. É uma capacidade de integrar os lados escuros da Vida e fazer deles referências de luz e esperança. É ter na pele uma dor que já não quer voltar a ser sentida, mas antes acariciada.

As minhas experiências de perdoar e ser perdoado aumentam a minha verdade. Fazem acreditar que sou acreditado… e isso é muito consolador. Por isso, o tempo de Quaresma dá este espaço vital de aproximarmos a nossa verdade da luz de Deus, de sermos mais capazes de amor. E porque não a confissão? É a possibilidade de ter nas mãos muitas certezas…

(Pensamentos Pe. Valério)

Facilmente somos como os filhos representados nesta parábola, mas o nosso desafio é sermos como o pai: amar, de forma tão incondicional, que não esperamos por desculpas ou justificações para perdoar e acolher, mesmo aqueles que nos magoaram.

No final da catequese, comprometemo-nos a desafiar alguém a regressar à casa do Pai, pelo sacramento da Reconciliação e levamos convites para essas pessoas e assumimos o desafio de uma vida restaurada pelo Amor, que marcamos com uma cruz, junto à nossa igreja e centro paroquial.


Ações

Information

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




%d bloggers like this: